Como fazer a pintura hidrográfica

A pintura hidrográfica é uma técnica que utiliza basicamente uma película (especificamente desenvolvida para esta finalidade) e água.

O objeto que se deseja pintar é mergulhado na água onde a película já se encontra “flutuando” e então ocorre a adesão da impressão na peça.

A pintura hidrográfica é muito utilizada em embarcações de pequeno porte (barcos de passeio e lanchas) e também na área automobilística:

 

Para fazer esta pintura em casa são necessárias algumas precauções. Escolha um material de boa qualidade e pense bem no tamanho da peça que vai personalizar. De acordo com o tamanho da peça escolhida, deve ser o recipiente que ela vai ser mergulhada.

Passos básicos para realizar a pintura hidrografica em casa:

Prepare a peça escolhida

O primeiro passo é a limpeza da peça. Não pode ter farpas (no caso da peça de madeira), sujeira, manchas ou gordura. O objeto deve estar limpo, liso e completamente seco.

  • É necessário lixar a peça

É claro que este passo não serve para todos os materiais (como o vidro por exemplo), mas serve para a madeira, plástico e outros tipos de material.

Avalie a peça para garantir que tenha um bom acabamento e que a superfície que vai receber a pintura esteja bem lisinha.

Película na água

Você vai precisar de um recipiente grande o bastante para que a película possa ficar totalmente aberta na água. Para facilitar o processo a película pode sobrar (um pouco) nas bordas do recipiente.

Para que a película fique firme você pode prendê-la nas bordas do recipiente com fita adesiva. Neste passo tenha cuidado para que não fiquem bolhas de ar na película.

O recipiente precisa ser fundo o suficiente para poder mergulhar a peça.

A água deve estar entre 12 e 19 graus centigrados de temperatura.

Quando a película estiver devidamente colocada na água, deixe por dois minutos.

Aplicando o ativador

Aplique uma camada fina do ativador com o auxílio de um borrifador numa distância de aproximadamente 20 cm da película. O ativador age rápido, mais ou menos 10 segundos.

  • Imersão

Mergulhe o objeto bem devagar, numa inclinação de 30 a 45 graus. Deixe submerso por 10 segundos. Antes de retirar a peça, remova as sobras da película.

Lavagem

Após retirar a peça, espere por 2 minutos e depois enxague removendo os excessos que possam ter ficado da película.

Secagem e verniz

Deixe a peça secar de maneira natural. Depois de seca, para finalizar, aplicar uma demão de verniz.

Dicas para importar Rolex originais

Diferentemente do que a maioria pensa, é bem possível importar um Rolex original e ainda pagar muito menos do que se estivesse comprando de uma loja no Brasil.

No entanto, claro, alguns cuidados são essenciais para garantir o sucesso da sua importação.

Então, conheça algumas dicas a seguir e entenda melhor sobre o assunto.

  1. Importe dos EUA

Quando estamos falando da importação de Rolex originais, o mais importante é escolher o fornecedor certo. Sendo assim, tenha em mente que as lojas americanas são mais confiáveis se comparado com os chineses, embora existam muitos sites confiáveis como o o Banggood Brasil por exemplo.

Além disso, nos Estados Unidos, o preço de um relógio Rolex é mais baixo se comparado com o do Brasil. Não sendo preciso desembolsar uma quantia tão grande para ostentar a marca.

Talvez você nem imagine, mas é possível comprar um Rolex até pela metade do preço nos EUA, incluindo frete, taxas na alfândega e a conversão do dólar.

Claro que a moeda pode oscilar um pouco, mas é bem possível conseguir uma compra mais vantajosa do que em lojas brasileiras.

  1. Contrate um redirecionamento de encomendas

A maioria das lojas que vendem Rolex não entregam diretamente no Brasil, o que não é motivo para desistir da sua compra, de forma nenhuma. Por isso, nada melhor do que um serviço de redirecionamento.

Se você não sabe o que é, fique sabendo que algumas empresas americanas oferecem um endereço americano para você, recebem o produto e então fazem o direcionamento dele para o seu endereço.

  1. Simule o valor total

Quando o assunto é valores, é muito importante ter uma estimativa do valor total da sua importação antes mesmo de finalizar sua compra. Sendo assim, considere o frete escolhido, some a alíquota de 60% sobre o preço da compra e não deixe de converter os valores em dólar pelo valor do momento da compra.

  1. Procure sempre fornecedores confiáveis

Saiba que até mesmo fornecedores dos EUA podem oferecer uma mercadoria falsa. Então, nada melhor do que procurar por lojas recomendadas e com boa reputação, a fim de evitar problemas.

Além disso, pesquise sobre o fornecedor na internet e preste atenção às suas avaliações nas redes, afinal, isso pode ser uma garantia e tanto.

Saiba mais sobre como importar relógios Invicta e outros:

Como criar camarão

A criação de camarão ainda não e muito explorada no Brasil, embora seja uma atividade que vem apresentando uma crescente procura. Mas afinal, como criar camarão e se tornar um carcinicultor.

O fato é que mesmo sendo uma iguaria muito apreciada no nosso país, a criação de camarões ainda é uma atividade que está recém começando a se expandir.

Sendo assim, é possível dizer que os criadores estão em processo de descoberta do ramo, mesmo sabendo que ela é altamente lucrativa. Isso acontece por que o consumo de camarão, seja pessoal ou para restaurantes, vêm apresentando um excelente crescimento.

Então, vamos saber um pouco mais sobre como criar camarão e ter sucesso nessa área:

  • A estrutura necessária

A criação de camarão em tanques é bem parecida com a de peixes. Para isso, é preciso de tanques, semelhantes à piscinas abastecidas por bombas com água potável.

É preciso ainda que esses tanques tenham ligação com o encanamento e saída de esgoto.

A criação deve respeitar a capacidade de 12 camarões por m² em cada tanque, para que se tenha uma ótima lucratividade.

O tamanho total da estrutura vai depender muito do porte da criação, mas o ideal é que seja feito em uma fazenda ou sítio específico para a criação.

  • Tipos de animais para montar uma criação

Se for de água doce, os tipos de camarões mais usados são os Macrobrachium rosenbergii, que já são criados para consumo desde 1977 no país.

Os camarões dessa espécie, também chamados de camarões da Malásia, conseguem alcançar um bom peso rapidamente, se desenvolvendo bem em cativeiro.

Já os mais comuns de água salgada para os criadouros são os L. vannamei, que também são cultivados há bastante tempo por aqui.

O fato é que existem diversas espécies de camarão, mas algumas são mais recomendadas pois conseguem chegar a um tamanho maior.

  • Alimentação para os camarões

Para os camarões criados em cativeiro, o ideal é receber uma alimentação específica que seja elaborada por um zootécnico.

Esse alimento pode ser comprado em casas de rações e são, basicamente, salinidade, para os camarões que são de água salgada, e também nutrientes que ajudam a engordar as larvas dos recém-nascidos.

  • Ciclo reprodutivo

A reprodução dos camarões ocorre por ovos e não há com que o criador se preocupar. Isso porque o processo ocorre de forma natural, não sendo necessário estimulá-lo.

No entanto, é importante separar os filhotes um tanque para que possam ser bem alimentados para serem vendidos dentro de 6 meses.

Pronto, agora você já sabe como criar camarão e ter uma boa lucratividade com essas atividade.